shutterstock_172563524

O jogo virou – Como lidar com as novas mídias

A publicidade tem como objetivo transmitir uma mensagem ao seu público-alvo a fim de criar uma imagem sólida em suas mentes, além de instigar o interesse de consumo de seu produto. Por muito tempo isso tem sido feito por mídias de comunicação em massa, como rádios, revistas e TV. Mas hoje essas mídias não são suficientes; em alguns casos, chegam até mesmo a ser irrelevantes. Dependendo do seu público alvo, talvez ele nem esteja frequentando essas mídias, afinal o mundo mudou. Hoje qualquer conteúdo é acessado facilmente na palma de nossas mãos. Como se manter relevante em um mundo onde o consumidor tem o poder de visualizar apenas o que realmente o interessa? Vamos entender algumas características das novas mídias.

 

O público alvo não é obrigado a ver o seu conteúdo

Certo, eu vou assistir ao seu comercial atentamente, ler as letrinhas pequenas, vou parar tudo o que estou fazendo para ler o rodapé de seu anúncio. E vou adorar fazer isso ininterruptamente.

É preciso quebrar a ideia de que o consumidor é um agente passivo, como um bebê pássaro com a boca aberta esperando a comida chegar. Ele não vai ficar parado esperando o seu comercial passar, ou ler atentamente o seu anúncio de revista. Nem por isso significa que nenhuma pessoa vai ver seu conteúdo. Pelo contrário, com um pouco de esforço e planejamento é possível fazer com que o consumidor seja atraído a interagir com sua marca por livre e espontânea vontade

 

Dê o que interessa para quem se interessa

_contexto
Entenda o contexto em que seu consumidor está inserido e crie conteúdo com que ele se identifique.

Nunca foi tão fácil manipular seu conteúdo para um público alvo específico. Todas as pessoas possuem características que podem ser mensuradas nas redes sociais, como idade, interesses, gênero, etc. Com isso vem a possibilidade de segmentar seu conteúdo para ser exibido prioritariamente para o público de sua escolha. Assim o seu conteúdo tem mais chances de chegar ao público específico, gerando engajamento e visibilidade mais efetiva.

 

Veja em tempo real o que está acontecendo

Já se imaginou numa central de comando onde você visualiza o que as pessoas andam visualizando em tempo real? Sim, nós imaginamos. Na verdade vivemos assim.
Já se imaginou numa central de comando onde você visualiza o que as pessoas andam visualizando em tempo real? Sim, nós imaginamos. Na verdade vivemos assim.

Se você tem uma campanha em andamento, ou até mesmo uma simples página no Facebook, por exemplo, é muito fácil você acompanhar a sua efetividade. Isso acontece porque tudo que acontece em redes sociais é rastreável e parametrizado. É possível checar a evolução de curtidas, qual o perfil das pessoas que curtem, idade, gênero, horário de pico. Essas informações são uteis para ajudar na evolução da campanha pois podemos “sentir” como o público se engaja com seu conteúdo o que ajuda na criação de novos conteúdos.

 

Meça seu tom de voz!

shutterstock_164566733
O que falar dessa marca que mal conheço e já considero PAKAS!???

Já que podemos falar diretamente com o nosso consumidor, o tom de voz da marca não se restringe apenas à mensagem passada por mídias (posts, vídeos, imagens). Não há intermédios entre seu consumidor e sua marca; a comunicação é literalmente direta, do mesmo jeito que se conversa com um amigo. Isso ajuda a evitar mal entendidos ou rumores sobre sua marca, pois é possível criar um relacionamento direto entre a marca e os consumidores, além de reforçar a ideia da marca, a missão. Quanto mais você se relaciona com seu consumidor, mais ele entende o que é a sua marca, por quê ela existe, qual sua missão.

 

Construir a imagem de sua marca hoje é muito mais do que apenas a aparência, apenas jogar uma mensagem no ar e esperar que o consumidor entenda. É preciso se comprometer a criar um vínculo bem definido e consolidado, e isso demanda tempo, paciência e aprender com tentativas e erros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *